Tipos comuns de bullying

VERBAL:
• Insultar
• Ofender
• Falar mal
• Colocar apelidos pejorativos
• “Zoar”

FÍSICO E MATERIAL:
• Bater
• Empurrar
• Beliscar
• Roubar
• Furtar ou destruir pertences da vítima

PSICOLÓGICO E MORAL:
• Humilhar
• Excluir
• Discriminar
• Chantagear
• Intimidar
• Difamar
• Assediar

VIRTUAL OU CYBERBULLYING:
• É o bullying realizado por meio de ferramentas tecnológicas: aplicativos de mensagens e redes sociais, por exemplo.

A identificação precoce do bullying pelos responsáveis é essencial. As crianças normalmente não relatam o sofrimento vivenciado na escola ou em outros ambientes, por medo de represálias e por vergonha.

A observação dos pais sobre o comportamento dos filhos é fundamental, bem como o diálogo franco entre eles.

Os pais não devem hesitar em buscar ajuda de profissionais de saúde mental, para que seus filhos possam superar traumas e transtornos psíquicos.

Pediátrica – Clínica Multidisciplinar de Pediatria ❤️
Telefone: (61) 3327-0634
WhatsApp: (61) 98595-2670
Endereço: SMHN, Quadra 2, Bloco B, Salas 1309 e 1310, Centro Clínico Cléo Octávio, Asa Norte, Brasília (DF).

Fonte das informações: Conselho Nacional de Justiça (CNJ) / Cartilha Bullying.

Ausência de cicatriz da vacina BCG, contra tuberculose, significa falta de proteção?

Ausência de cicatriz da vacina BCG, contra tuberculose, significa falta de proteção? Não. A ausência da cicatriz da vacina BCG não significa que a criança não está protegida.

Crianças que não apresentam cicatriz vacinal após receberem vacina contra tuberculose (BCG) não precisam ser vacinadas novamente.

Essa é a nova recomendação do Ministério da Saúde, que está alinhada com a posição da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Estudos indicaram que não há evidências que justifiquem a revacinação devido à ausência da cicatriz vacinal.

A principal proteção das crianças contra a tuberculose é a vacina BCG, oferecida gratuitamente pelo SUS.

A vacina BCG deve ser dada às crianças ao nascer ou na primeira visita ao serviço de saúde, o mais cedo possível.

Proteja as crianças. Mantenha as vacinas da família em dia.

Pediátrica – Clínica Multidisciplinar de Pediatria ❤
Telefone: (61) 3327-0634
Endereço: SMHN, Quadra 2, Bloco B, Salas 1309 e 1310, Centro Clínico Cléo Octávio, Asa Norte, Brasília (DF).

Como cuidar do umbigo do recém-nascido?

• O coto umbilical, que durante a gestação liga o corpo da mãe ao do bebê, ainda fica preso ao recém-nascido por alguns dias.

• Ele deve ser bem limpo, para que não ocorram infecções, até que caia sozinho — geralmente um pouco depois da primeira semana de vida.

• A limpeza da região umbilical deve ser realizada com álcool 70%. Use algodão ou uma fralda de pano.

• Durante a limpeza, é importante levantar o coto umbilical para higienizar toda a região em volta do umbigo. Sempre seque bem o local depois de cada banho.

• Não use faixas ou qualquer outro tipo de objeto ou substância sobre o umbigo. A região não deve ser abafada, porque o coto umbilical precisa secar para cair.

• Caso surja algum tipo de secreção de cor amarela, com mau cheiro ou purulenta, ou caso haja vermelhidão ao redor da região umbilical, o bebê deve ser examinado por um profissional de saúde.

Pediátrica – Clínica Multidisciplinar de Pediatria ❤
Telefone: (61) 3327-0634
WhatsApp: (61) 9 8595-2670
Endereço: SMHN, Quadra 2, Bloco B, Salas 1309 e 1310, Centro Clínico Cléo Octávio, Asa Norte, Brasília (DF)

Fonte das informações: Ministério da Saúde.

9 sugestões para lidar com a criança que não quer comer

1. Fazer do horário da refeição um momento tranquilo e de prazer.
2. Variar os alimentos e procurar oferecer preparações saborosas.
3. Colocar diversos alimentos no prato para proporcionar mais opções.
4. Montar um prato com apresentação atraente para que a criança se sinta motivada a comer.
5. Oferecer a comida da criança no mesmo horário da refeição da família.
6. Não obrigar a criança a comer e não insistir para que ela raspe o prato.
Parar de alimentá-la quando perceber que ela está satisfeita.
7. Não oferecer recompensas, como doce, brinquedo, televisão, para fazer com que a criança coma mais.
8. Se houver rejeição frequente de determinados alimentos, não deixar de oferecê-los — apresentá-los de forma diferente.
9. Não oferecer outros alimentos em horário muito próximo das refeições.

Converse com o pediatra.

Pediátrica – Clínica Multidisciplinar de Pediatria ❤️
Telefone: (61) 3327-0634
WhatsApp: (61) 9 8595-2670
Endereço: SMHN, Quadra 2, Bloco B, Salas 1309 e 1310, Centro Clínico Cléo Octávio, Asa Norte, Brasília (DF)

Alergia à proteína do leite de vaca: conheça os sintomas

A APLV (Alergia à Proteína do Leite de Vaca) é o tipo de alergia alimentar mais comum nas crianças de até dois anos. Ela é caracterizada pela reação do sistema imunológico a proteínas do leite, como a caseína e as proteínas do soro.

Principais sintomas cutâneos da APLV:
• Coceira
• Urticária
• Inchaços na pele
• Manchas vermelhas pelo corpo
• Dermatite atópica

Principais sintomas gastrointestinais da APLV:
• Náuseas
• Vômitos
• Diarreia
• Sangue nas fezes
• Refluxo gastrointestinal
• Dor abdominal

Principais sintomas respiratórios da APLV:
• Coceira e sensação de garganta fechando
• Inchaço de glote e laringe
• Tosse seca irritativa
• Sensação de aperto torácico
• Crises de espirro e intensa congestão nasal

Principais sintomas cardiovasculares da APLV:
• Dor torácica
• Arritmia
• Hipotensão (pressão baixa)
• Choque

Principais sintomas neurológicos da APLV:
• Convulsão
• Sonolência
• Perda de consciência

Converse com o pediatra. A APLV pode ser tratada.

Pediátrica – Clínica Multidisciplinar de Pediatria ❤️
Telefone: (61) 3327-0634
WhatsApp: (61) 9 8595-2670
Endereço: SMHN, Quadra 2, Bloco B, Salas 1309 e 1310, Centro Clínico Cléo Octávio, Asa Norte, Brasília (DF)

Fonte das informações: Ministério da Saúde.

Sucos: como integrá-los à rotina dos filhos

Sucos frescos de frutas são valiosas fontes de vitaminas, sais minerais e diversos outros nutrientes que protegem as crianças de doenças e as fazem crescer com saúde. Além disso, eles hidratam o corpo, o que é essencial para o bom funcionamento do organismo.

Uma boa dica a ser seguida é: troque gradualmente refrigerantes e sucos de caixinha por sucos naturais feitos em casa. Você pode inclusive convidar seu filho para auxiliar no preparo dos sucos e estimulá-lo a sugerir novas combinações de frutas e sabores.

Além de saudável, a experiência pode ser divertida e enriquecer a consciência da criança em relação ao paladar!

Asma na infância: Saiba mais sobre a doença

 
 

PRINCIPAIS SINTOMAS:
• Dificuldade para respirar
• Chiado e aperto no peito
• Respiração curta e rápida
• Tosse
• Desconforto no tórax

SINTOMAS PODEM PIORAR:
• À noite
• Nas primeiras horas da manhã
• Em resposta à prática de atividades físicas
• Devido à poluição ambiental
• Diante de mudanças do clima
• Após exposição a alérgenos

FATORES AMBIENTAIS que podem gerar ou agravar a asma:
• Poeira, ácaros, baratas e fungos
• Infecções virais
• Variações climáticas

FATORES GENÉTICOS que podem gerar ou agravar a asma:
• Histórico familiar de asma ou renite
• Obesidade

A asma é uma das doenças crônicas respiratórias mais comuns. Alguns sintomas podem confundir, por serem semelhantes aos de outras doenças. Para um diagnóstico correto, converse com o pediatra.

Pediátrica – Clínica Multidisciplinar de Pediatria ❤️
Telefone: (61) 3327-0634
WhatsApp: (61) 9 8595-2670
Website: https://pediatricadf.com.br
Endereço: SMHN, Quadra 2, Bloco B, Salas 1309 e 1310, Centro Clínico Cléo Octávio, Asa Norte, Brasília (DF)

Bullying: Conheça tipos comuns e proteja as crianças

 
 

Proteja as crianças: conheça tipos comuns de bullying

VERBAL:
• Insultar
• Ofender
• Falar mal
• Colocar apelidos pejorativos
• “Zoar”

FÍSICO E MATERIAL:
• Bater
• Empurrar
• Beliscar
• Roubar
• Furtar ou destruir pertences da vítima

PSICOLÓGICO E MORAL:
• Humilhar
• Excluir
• Discriminar
• Chantagear
• Intimidar
• Difamar
• Assediar

VIRTUAL OU CYBERBULLYING:
• É o bullying realizado por meio de ferramentas tecnológicas: aplicativos de mensagens e redes sociais, por exemplo.

A identificação precoce do bullying pelos responsáveis é essencial. As crianças normalmente não relatam o sofrimento vivenciado na escola ou em outros ambientes, por medo de represálias e por vergonha.

A observação dos pais sobre o comportamento dos filhos é fundamental, bem como o diálogo franco entre eles.

Os pais não devem hesitar em buscar ajuda de profissionais de saúde mental, para que seus filhos possam superar traumas e transtornos psíquicos.

Pediátrica – Clínica Multidisciplinar de Pediatria ❤️
Telefone: (61) 3327-0634
Endereço: SMHN, Quadra 2, Bloco B, Salas 1309 e 1310, Centro Clínico Cléo Octávio, Asa Norte, Brasília (DF)

Navegue pelo site da Pediátrica

 
 

Você já explorou as diferentes seções do site da Pediátrica? Nelas é possível conhecer a equipe, fazer um tour virtual pela clínica, consultar a lista de convênios atendidos, obter informações de contato e localização, ouvir orientações de saúde e solicitar agendamentos. Como tudo na Pediátrica, ele foi feito com muito carinho – dê uma olhada no vídeo acima!

Sobre a Pediátrica: A Pediátrica é uma clínica multidisciplinar de pediatria localizada no centro de Brasília que dedica-se a prestar assistência integral e continuada à saúde e ao pleno desenvolvimento de crianças e adolescentes. A clínica oferece atendimento geral em pediatria e assistência pediátrica especializada em gastroenterologia, endocrinologia, neurologia, cirurgia, endoscopia digestiva, pneumologia, alergia, nefrologia, imunologia e infectologia, e conta ainda com profissionais de nutrição, fonoaudiologia, fisioterapia e psicologia.

Seletividade alimentar: "Meu filho não quer comer nada. O que faço?"

 
crianca nao quer comer pediatraa brasilia
 

Toda criança em alguma fase da vida passa pela seletividade alimentar. É o momento em que as mães procuram o consultório de pediatria com a queixa: – Meu filho não come nada.

Compreender que é uma fase é o primeiro passo para saber lidar com a situação. Nesse momento é importante ter paciência e persistência, oferecer pratos variados e coloridos, não desistir de uma alimentação saudável e sempre ser exemplo para o filho. Caso persista a falta de apetite, é importante a consulta com pediatra para avaliar se há alguma patologia relacionada.

Constipação intestinal (intestino preso) pode melhorar com hábitos saudáveis

 
constipacao-intestinal-intestino-preso-pediatra-brasilia
 

A constipação intestinal é a dificuldade que a criança apresenta para evacuar. Dor e distensão abdominais, fezes em bolinhas, presença de sangue nas fezes, esforço para evacuar, evacuação dolorosa e eliminação de grande quantidade de fezes, que chegam a entupir o vaso, são sintomas comuns da constipação intestinal.

No período de desfralde e também no pré-escolar a ocorrência dos sintomas de constipação é mais frequente. Uma melhora na ingesta de frutas, verduras, legumes e alimentos ricos em fibras, bem como a ingesta adequada de água e a realização de atividades físicas ajudam na melhoria do quadro de constipação.

Caso seu filho apresente qualquer sintoma de constipação intestinal que não melhore com a adoção de hábitos saudáveis, procure um gastropediatra para acompanhamento.

Dia Mundial da Saúde Digestiva: data sensibiliza população para importância de sintomas

 
 

A Federação Brasileira de Gastroenterologia mobiliza-se para celebrar neste 29 de maio o Dia Mundial da Saúde Digestiva. O principal objetivo é sensibilizar a população e os profissionais de saúde para a importância dos sintomas relacionados ao trato gastrointestinal.

A data também busca promover a adoção de estilo de vida saudável, com alimentação equilibrada. A correta orientação e o rápido acesso ao tratamento são direitos da população.

Se seu filho apresenta qualquer sintoma relacionado ao trato digestório, como dor abdominal, azia, vômitos, diarreia, dificuldade para evacuar, náuseas e má digestão, procure logo um profissional de saúde capacitado para atendê-lo. A Pediátrica conta com uma equipe multidisciplinar capacitada para atendimento médico, desde o nascimento até a adolescência.

O que as crianças vão fazer no fim de semana?

 
criancas-brincando-saudaveis-pediatra-brasilia
 

O que as crianças vão fazer no fim de semana? Brincadeiras simples e antigas costumam ser as opções mais saudáveis e divertidas. Tente organizar o tempo para levar as crianças para brincar ao ar livre. Se possível, desligue o telefone para passar um tempo apenas com elas.

Sem ideias do que fazer? A lista é grande; basta escolher um lugar seguro para cada brincadeira: corrida do saco, pipa, mímica, bolhas de sabão, pular corda, cabra-cega, cabo de guerra, queimada, jogo do quente-frio, caça ao tesouro, futebol, peteca, dança das cadeiras, esconde-esconde, acertar o alvo (com pedrinhas e latas vazias); se você parar para pensar, vai se lembrar de várias outras brincadeiras. Na hora do descanso, um piquenique é uma ótima opção.